Tuesday, March 14, 2006




Uma devastação penetrava no meu íntimo e eu rejeitava a melhor parte de mim. Eu via a minha vida como um campo infindável. Se eu estava lá era porque optei viver por amor e não morrer por ele. As pedras pareciam ter alma e refletiam infinitamente o que parecia ser os restos de você. "O que pode crescer sem a chuva? O que pode arder por anos a fio? As pedras crescem sem chuva. Mas somente o amor pode arder por anos a fio." A minha vida era sim um campo infindável, devastado, cru, cheio de mortalhas do passado, associado livremente à repressões e regressões dos mais obscuros e temerosos aspectos, podres. Mas havia também toda uma jornada de uma parte pura, limpa, iluminada de alma e de reflexos bons. É por causa dessa parte de mim que "mesmo se me matarem, mesmo se me enterrarem, eu me levantarei."

4 Comments:

Anonymous Patrícia said...

This comment has been removed by a blog administrator.

5:35 PM  
Anonymous Cibelle said...

Eu nem te esqueço besta, nem vou discutir isso. Owwwwww, vamo no aniversário do Pedro sábado, nem INVENTA!
Eu tô deixando de ir pra bsb pra ver todos vocês. NÃO INVENTA de faltar, hunft.

(eu lembro de vc todos os dias, por mais que duvide =P)

=*

6:22 AM  
Anonymous Anonymous said...

atualiza a budega né

9:52 AM  
Blogger tatá lima said...

a imagem eu não lembro da onde eu tirei nao... entao, parabens pra quem desenhou e tal. hehehe

10:28 AM  

Post a Comment

<< Home